Abrir chat no WhatsApp

eu@cleberalexandre.com.br

|

Do campo à mesa com a CSA - Comunidade que Suporta a Agricultura

Por Cleber Alexandre 

13 de janeiro de 2018

Pelo modelo CSA - Comunidade que Suporta a Agricultura você virá "sócio" e tem a oportunidade de financiar a produção de alimentos orgânicos da próxima temporada, que chegarão diretamente à sua mesa sem passar pela mão de intermediários.

Primeiro você cuida da terra, depois ela cuida de você.

Uma das iniciativas mais promissoras para reduzir o preço e aumentar a disponibilidade de alimentos orgânicos de alta qualidade é a CSA - Comunidade que Suporta a Agricultura (ou community supported agriculture, do inglês). Esse modelo oferece ao produtor a condição de ter todos os seus custos de funcionamento cobertos com antecedência, bem como um canal de distribuição da produção. Assim ele deixa de ser refém dos distribuidores e intermediários, como armazéns, CEASAs e supermercados.

Conhecendo o esforço e o custo da atividade agrícola

A ideia básica da CSA resolve diversos dos problemas sistêmicos cujos sintomas são o encarecimento da produção orgânica que chega até a cidade, a deterioração da qualidade da produção, a diminuição do "tempo de prateleira" ou tempo de frescor dos alimentos, a redução da diversidade na produção (e, por consequência, sua estabilidade e lucratividade), sem falar no distanciamento entre campo e cidade.

Segunda-feira, dia de colher e preparar as entregas da CSA de Bocaíuva do Sul - PR. As cestas reúnem a produção semanal de hortaliças e legumes do sítio Sitioca In Lak'ech e também algumas frutas que chegam de um produtor parceiro, da região.

O modelo moderno de CSA começou na década de 60 na Europa e no Japão, e nos aos 80 chegou aos Estados Unidos e de lá se popularizou para outros lugares. Apesar dos vários arranjos que uma CSA pode ter, existem um funcionamento padrão: em todo final de safra o produtor faz uma projeção financeira da próxima, considerando:

  • Despesas com mão de obra, incluindo o salário ou pró-labore do produtor e de sua família.
  • Reserva de capital para financiar ampliações, obras e reformas na propriedade.
  • Insumos de produção como sementes, substratos, embalagens, fertilizantes, caldas, prevenção e combate a pragas, EPIs, combustível.
  • Custos de manutenção de máquinas e equipamentos, bem como sua depreciação.
  • Assistência técnica, consultoria agrícola e treinamento de equipe.
  • Contratação de seguros de produção, de incêndio, de equipamentos.
  • Despesas com venda, marketing e distribuição.

Os custos são rateados entre cotas, e as cotas são oferecidas às pessoas que desejam receber, em troca, toda a produção do agricultor. Basta que você escolha o produtor que produz o que você deseja comprar (se é só hortaliças, se tem frutas, se tem mel...), na frequência de recebimento e forma de entrega que funciona para você.

A maioria das CSAs entregam a produção toda semana ou a cada quinze dias. Algumas entregam direto na casa dos coprodutores (mais custo) ou em pontos de entrega, como escolas e condomínios.

Na CSA é comum que o produtor abra a sua propriedade para visitação, para trabalho voluntário e para ajuda na colheita. Algumas fazendas também oferecem eventos, feiras e "agrados" aos seus membros!

Incrível, não é mesmo?

Melhor do que isso, só se você plantar em casa.


Mais informações sobre a CSA

Confira este pequeno vídeo em inglês, da Happen Films, sobre alguns conceitos da CSA e por que ela é importante para o produtor.

Leia este artigo de pesquisadores da Embrapa na revista Horticultura Brasileira vol.29 no.1, de 2011: Agricultura Apoiada pela Comunidade: poderia a experiência dos agricultores americanos ser útil para os agricultores urbanos brasileiros?

Confira o site da CSA Brasil, uma associação dedicada a promover a cultura da community supported agriculture no Brasil.

Referências:
http://www.cias.wisc.edu/community-supported-agriculture-growing-foodand-community/
https://urgenci.net/
https://www.localharvest.org/csa/
http://www.csabrasil.org/csa/


E você, o que acha desse modelo? Já conhecia? O que impede você hoje de ser um financiador de uma fazenda local? Compartilhe suas ideias nos comentários!

2 comments on “Do campo à mesa com a CSA - Comunidade que Suporta a Agricultura”

  1. […] CSA, ou Comunidade que Suporta a Agricultura, é um modelo de distribuição da produção agrícola na qual um grupo de consumidores financia as atividades produtivas com antecedência, recebendo o resultado da colheita em cestas semanais. Este modelo já é bem utilizado em outros países como Estados Unidos, Japão, Suíça, Alemanha, Inglaterra e França, mas só em 2011 chegou ao Brasil. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eu@cleberalexandre.com.br
Confira a previsão do tempo para Curitiba ❄️
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram